Simulado ENEM: um guia para tirar todas as suas dúvidas
Daniela Panteliades maio 25, 2016

Simulado ENEM: um guia para tirar todas as suas dúvidas

Não restam dúvidas de que o ENEM é extremamente importante para quem está terminando o Ensino Médio. Afinal, como se não bastasse o fato de dar acesso ao Sistema de Seleção Unificada, o SiSU (sistema de seleção que permite aos estudantes concorrerem a vagas em instituições de ensino superior em todo o país), a nota do exame também é requisito para a participação em programas de bolsas e financiamento como o FIES e o ProUNI, além de ainda poder levar à conquista de uma vaga em universidades de Portugal ou em intercâmbios universitários.

Toda essa importância do ENEM para os estudantes também se reflete nas próprias escolas, que se tornam referências quando seu corpo discente alcança pontuações elevadas na prova. Diante disso, nada mais natural que querer preparar os alunos para dar seu melhor no exame, não é verdade? Pois, para tal e dentre outros recursos e ferramentas, uma das atividades mais conhecidas e eficazes é a realização de simulados. Mas você sabe quais são os benefícios reais desse tipo de exercício, como exatamente ele funciona, como deve ser aplicado e em que formatos pode acontecer?

No post de hoje, vamos compartilhar um guia completo sobre os simulados ENEM para tirar todas as suas dúvidas e ajudá-lo a entender por que (e, sobretudo, como) trazer essa ferramenta tão relevante para seus alunos. Então vamos ver?

Simulado ENEM: o que é?

Diferentemente de um exercício ou outro tipo de tarefa preparatória que possa ser realizada durante a aula (com questões no formato do ENEM ou baseadas no conteúdo a ser cobrado na prova), os simulados visam testar não só o conhecimento dos alunos, como também sua habilidade para lidar com outros fatores importantes que podem interferir no seu desempenho. Aí podemos destacar, por exemplo, o tempo de prova, a compreensão dos enunciados e, inclusive, o próprio estresse!

Trata-se, assim, de uma atividade que visa a reproduzir o ENEM antes da data real da prova, a fim de mostrar aos estudantes o que os espera não apenas no quesito conteúdo, mas também em relação ao formato do teste, a suas regras e seus desafios práticos. Precisa entender melhor? Então vamos conhecer, a seguir, um pouco mais sobre o funcionamento e as principais características do Exame Nacional do Ensino Médio!

Entenda a dinâmica do ENEM

O ENEM é dividido em 5 provas, para as quais os estudantes recebem notas diferentes: são 4 de múltipla escolha e uma de redação. Assim, embora também seja calculada uma média final, o candidato recebe pontuações distintas para cada uma desses 5 testes. Esse dado pode vir a ser relevante em caso de desempate no SiSU (para o qual as notas das provas são consideradas em uma ordem previamente estabelecida) e, ainda, para as instituições que adotam um peso diferente para cada área do conhecimento.

As 4 provas objetivas são dedicadas às seguintes áreas:

1)   Ciências Humanas e suas Tecnologias (cujos componentes curriculares são História, Geografia, Filosofia e Sociologia);

2)  Ciências da Natureza e suas Tecnologias (composta por Química, Física e Biologia);

3)  Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (Língua Portuguesa, Literatura, Artes, Educação Física, Língua Estrangeira, sendo Inglês ou Espanhol, além de Tecnologias da Informação e Comunicação);

4)  Matemática e suas Tecnologias.

Cada uma dessas provas conta com 45 questões de múltipla escolha, que devem ser resolvidas seguindo as orientações do caderno de questões e, depois, passadas a caneta para o cartão de resposta. Vale lembrar que esse é o documento a ser analisado posteriormente, por computador, para avaliar o estudante segundo a chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI). Tal metodologia de correção do ENEM funciona por escala de competências no lugar de simplesmente somar os acertos do candidato.


Veja também: Infográfico com os conteúdos mais cobrados do ENEM


Além disso, é importante saber como funciona, na prática, a aplicação do exame. Ele acontece em 2 etapas, da seguinte forma:

1)  São 5 horas e meia no primeiro domingo para a resolução das provas de Ciências Humanas, Linguagens e Redação;

2)  No segundo domingo são mais 4 horas e meia para as demais provas objetivas, de Matemática e Ciências da Natureza.

Conheça as particularidades do exame

O fato de o ENEM ser um exame de amplitude nacional faz com que ele precise ser pensado de uma maneira muito particular e diferente dos vestibulares tradicionais. Isso porque, enquanto os vestibulares avaliam um número muito menor de candidatos e tendem a poder se basear em dados mais locais na elaboração das questões, o ENEM testa os conhecimentos de estudantes do Brasil inteiro, precisando, assim, levar em conta as especificidades de cada região, além de contar com uma forma de avaliação consideravelmente mais abrangente.

Por isso, a prova apresenta algumas características únicas, dentre as quais podemos destacar:

1) Tamanho e duração estendidos em relação aos vestibulares tradicionais;

2) Realização simultânea e anual em todo o país;

3) Uso de habilidades no lugar de conteúdos na matriz curricular que serve de base para a elaboração das questões de viés mais interpretativo;

4) Adoção de uma metodologia de correção alternativa (a TRI), que ajuda a comparar de maneira mais justa o desempenho de um número tão grande de alunos.

Embora possam parecer simples, esses pontos, quando acumulados e ainda somados à tensão do aluno no dia da prova, podem acabar exercendo uma influência negativa sobre seu desempenho. Isso acontece principalmente no caso daqueles que, concentrados em se esforçar para dominar todas as competências listadas na matriz curricular, deixam de se preparar para o desafio físico da prova, isto é, o de passar tantas horas seguidas resolvendo as questões, sem se deixar abalar pelo gerenciamento de tempo, o nervosismo e outros fatores.

Aí entra o simulado ENEM, atividade que ajuda a replicar essas condições tão especiais da prova (na própria escola ou online) para que os estudantes se acostumem e não sofram nenhuma desvantagem no grande dia. Para tal, utilizam questões inéditas (elaboradas segundo a própria metodologia do ENEM) ou de provas de edições anteriores, geralmente em um exercício que tem o mesmo tempo de duração, a mesma rigidez quanto à consulta a outros materiais e a mesma ordem de competências que o exame teria na realidade.

Por que aplicar um simulado no formato do ENEM?

Além de permitirem uma maior familiarização do estudante com a prova (evitando que a surpresa causada pelo formato pouco conhecido ou pela falta de prática na resolução do tipo de questão cobrada o prejudiquem), as atividades que simulam a aplicação do ENEM contam com uma série de outras vantagens. Veja por exemplo o depoimento de Jorge Cascardo, Diretor Pedagógico do AppProva:

Uma das perguntas mais frequentes que nos é enviada é: ‘como posso ajudar meus alunos para que tenham melhoras em seu desempenho no ENEM, com um instrumento simples de ser utilizado, fácil de ser elaborado e de baixo custo?’ A nossa resposta é simples e objetiva: utilize simulados online, elaborados por especialistas em questões do mesmo molde das do ENEM, classificadas por conteúdos e habilidades, com resultados utilizando a TRI que podem ser usados para orientar a melhora do nível de proficiência dos alunos.

Por incrível que pareça, essas não são as únicas vantagens da realização desse tipo de atividade pelos estudantes. Outro benefício importante é a referência que os simulados dão quanto ao desempenho dos estudantes tanto a si mesmos quanto aos professores. Assim, com base em seus resultados, os próprios alunos se dão conta das áreas a que precisam se dedicar mais, assim como o professor consegue obter um diagnóstico objetivo da turma para saber quais conteúdos precisam ser trabalhados com mais cuidado e quais já foram propriamente dominados.

Em relação à escola, os simulados não apenas contribuem para aprimorar o trabalho dos educadores por meio da avaliação de desempenho dos estudantes, como também permitem elevar a reputação da instituição na preparação para o exame, bem como seu posicionamento nos rankings por resultado dos alunos no ENEM. A verdade é que todos se beneficiam!

O que fazer depois de aplicar um simulado ENEM?

A simples aplicação de simulado ENEM já contribui para que os estudantes conheçam o formato da prova e observem como reagem (física e mentalmente) à atividade, chamando a atenção para problemas que em sala de aula nem sempre ficam tão evidentes. Estamos falando de questões como o gerenciamento de tempo, o uso do cartão de resposta, o controle da ansiedade e assim por diante. Contudo, os benefícios dos simulados podem ir muito além da familiarização com o exame, desde que a escola saiba como usar os resultados dos alunos.

Para isso, o ideal é não se limitar a corrigir e distribuir notas a cada aluno, mas registrar esses resultados, de preferência digitalmente ou em uma planilha. Assim será possível consultar o proveito de cada turma e aluno, permitindo compará-los entre si e também entre um simulado e outro. Assim fica muito mais fácil acompanhar o desempenho (individual e coletivo) e ainda organizar os dados em diferentes formatos (como gráficos e tabelas), a fim de facilitar sua análise por professores e coordenadores pedagógicos, favorecendo novas ideias para o planejamento de ações para melhorar o desempenho de todos.

Outra medida interessante após a aplicação dos simulados pode ser a de dividir as questões por conteúdo ou habilidades e competências, no intuito de, assim, poder analisar o resultado das turmas em relação às diferentes matérias estudadas. Dessa forma, ao comparar as pontuações dos alunos em determinadas áreas, será possível imediatamente identificar padrões de erro que indiquem alguma dificuldade geral e até experimentar e repensar metodologias de ensino variadas. Afinal, se determinado conteúdo foi ensinado por meio de materiais multimídia e outro por aulas expositivas, checar a média de desempenho dos estudantes nesses assuntos específicos pode levar a conclusões significativas a respeito da melhor forma de aprendizado para aqueles grupos ou, pelo menos, para aquela competência, não concorda?


Leia também: Como aplicar intervenções pedagógicas associando as correções TRI e TCT


Por fim, vale ressaltar que a aplicação regular e contínua dos simulados não só contribui para melhorar o desempenho dos alunos pela própria prática, como ainda aumenta sua motivação ao fornecer uma ferramenta de monitoramento concreto de seu progresso à medida que a prova se aproxima.

É melhor aplicar o simulado online ou físico?

Agora que você já entendeu o que são, por que são importantes e quais são as consequências da aplicação dos simulados do ENEM, chegou a hora de saber mais sobre como essa atividade pode ser realizada na sua escola. Para isso, o primeiro passo é conhecer as 2 formas diferentes (cada qual com suas vantagens e desvantagens) por meio das quais os simulados podem ser aplicados. Confira:

Simulado online

Como o próprio nome já indica, os simulados online são aqueles realizados pela internet (em sites ou apps) e por meio de aparelhos eletrônicos no lugar dos tradicionais papel e caneta. Apesar de esse (ainda) não ser o formato real do ENEM, a realização da prova no meio digital traz uma série de vantagens tanto ao professor como ao aluno.

O primeiro benefício é a própria facilidade na elaboração da prova, que, dependendo do aplicativo utilizado, já vem inclusive pronta (escrita por profissionais qualificados ou com base em outras edições do exame) ou pode ser elaborada rapidamente usando um banco de questões da própria web. Depois de sua realização, uma vantagem enorme para o professor é a correção automática das questões, que além de poupar tempo e dedicação, facilita a análise do desempenho dos estudantes e, consequentemente, a decisão quanto aos próximos passos e às formas de aprimorar a nota de cada um.

Sabia que alguns aplicativos já criam gráficos e tabelas automaticamente com base nos resultados das turmas? E ainda vale lembrar que, nos simulados online, a metodologia usada para a correção das provas pode ser (dependendo do programa usado) a própria TRI, fornecendo uma ideia muito mais clara da preparação dos alunos para as particularidades do ENEM e facilitando a compreensão desse sistema avaliativo por todos.

Por fim, do lado dos alunos, os simulados online ajudam a trazer segurança quanto à correção pela TRI, permitem mais flexibilidade que os testes físicos (já que podem ser realizados no horário e no local de sua preferência) e geram muito mais engajamento por serem realizados em tablets, computadores e até smartphones, plataformas nas quais a maioria dos alunos da geração Z se sente mais confortável.

Simulado físico

O simulado físico é aquele realizado com lápis, papel e caneta, do jeito que provavelmente será feito pelos estudantes no dia da prova. Assim como o digital, esse tipo de simulado pode ser levado pelo aluno para ser resolvido em casa, no entanto, o ideal é que também haja simulados no ambiente da escola, em que os alunos:

1) Não possam ter acesso a relógio, calculadora, internet e outras fontes de consulta;

2) Precisam controlar a questão do tempo de prova mais de perto;

3) Têm de lidar com a tensão à sua volta e com a dificuldade advinda do uso do papel e da caneta, passando as alternativas escolhidas para o cartão de resposta e escrevendo à mão na hora da redação.

Esse tipo de simulado certamente exige uma organização maior por parte da escola, que precisará agendar dias específicos no calendário para sua realização, além de ter que contar com educadores para elaboração e seleção das questões, mesclando as competências e habilidades das grandes áreas, e para a aplicação das provas. Além disso,  sera necessário separar a infraestrutura adequada (salas e carteiras), imprimir os cadernos dos simulados em papel (180 questões por prova!) , e, finalmente, corrigi-los e registrar todos os resultados manualmente.

Contudo, o simulado físico também tem a vantagem de dar aos estudantes uma perspectiva mais realista das condições de realização da prova, da pontualidade necessária para começá-la, das dificuldades pela falta do relógio digital e da pressão de um ambiente de teste com a presença dos colegas e professores.

Como efetivamente aplicar um simulado ENEM?

Por último, chegamos à prática. Diante da importância da realização desse tipo de atividade de todas as turmas de Ensino Médio das escolas, qual é, afinal, a melhor maneira de se aplicar um simulado ENEM? A seguir, compartilhamos com você as principais dicas para isso. Veja só:

Tenha um banco de questões à disposição

Para elaborar provas relevantes, que realmente contribuam para melhorar o desempenho dos alunos e habituá-los ao tipo de desafio proposto no ENEM, o ideal é contar com um banco de questões. Esse questões podem ser retiradas de provas dos anos anteriores (as quais sempre podem ser adaptadas pelos professores) ou do banco de questões de aplicativos de educação como o AppProva, também podendo ser elaboradas pelos próprios educadores, preferencialmente seguindo os critérios do ENEM. Além de agilizar a montagem dos simulados, o banco de questões também ajuda a prevenir a repetição de temas e perguntas entre um teste e outro.

Esclareça quais são as regras do simulado

Seja no simulado online ou no físico, é essencial que, antes de sua realização, alguém explique aos alunos quais são as regras a serem observadas para que seja possível reproduzir, com o máximo de fidelidade possível, as condições que enfrentarão no dia da prova. Dessa maneira, após um breve esclarecimento sobre a diferença entre o estilo de prova do ENEM e aquele dos testes realizados habitualmente na escola, é interessante ressaltar:

1) O dia e a hora estabelecidos pela escola para a realização do simulado, bem como a tolerância no caso de atrasos e os materiais necessários para a atividade;

2) O limite de tempo para a finalização do teste, fornecendo algumas dicas para gerenciá-lo com mais cautela;

3) A proibição do uso de aparelhos eletrônicos (incluindo relógios de pulso  e calculadoras) durante a prova;

4) A proibição de consulta a qualquer fonte de informação que não seja o caderno de questões tanto durante o simulado como no dia do ENEM.

Saiba o que fazer com os resultados

Após realizar as provas e recolher suas correções (tenham elas sido feitas de maneira manual ou automática), é preciso reunir os principais dados sobre o desempenho dos alunos e, idealmente, compartilhá-los com professores e coordenadores, incentivando debates que ajudem a identificar as principais dificuldades dos alunos, suas causas e, claro, possíveis soluções.

Repita a operação regularmente

Para verificar a eficácia das soluções oferecidas aos problemas diagnosticados no último simulado, nada melhor que revisar os conteúdos mais defasados com os alunos realizar e outros testes, não acha? Além disso, visto que a prática leva à perfeição, quanto mais simulados os estudantes prestarem (sem, é claro, interferir com sua rotina, cronograma anual e tempo de descanso), mais confiantes se sentirão de que é possível melhorar seu desempenho por meio dos estudos. Por isso, o ideal é que a escola mantenha uma agenda regular de simulados, principalmente na 3ª série do Ensino Médio.


Baixe o ebook gratuito: Aprenda a fazer o diagnóstico das dificuldades dos alunos e a avaliação contínua


Alterne entre simulados online e físicos

Por fim, cabe ressaltar ainda que, justamente pelo fato de os simulados online e físicos terem cada um seus prós e contras, nada mais produtivo que alternar ao longo do ano entre essas modalidades. Dessa maneira, é possível aproveitar as vantagens de ambas e dinamizar a prática a fim de evitar a estagnação de alunos e professores.

Elaborar, aplicar e corrigir um simulado ENEM na escola certamente não são tarefas simples. Entretanto, as consequências positivas para os estudantes e para a escola são, como mostramos neste post, bastante concretas: os simulados permitem diagnosticar as dificuldades dos alunos, aprimorar seu desempenho com base em ações direcionadas, proporcionar mais confiança em relação à prova e, como resultado de sua melhora, elevar a reputação da escola em toda a comunidade.

Mas nem sempre realizar essa atividade precisa ser um desafio de logística dentro da escola! Para isso, os simulados online, como ressaltou Jorge Cascardo, são uma excelente solução. Afinal, além de praticamente eliminarem o trabalho dos docentes na montagem, aplicação e correção dos testes, ainda promovem um maior engajamento entre os alunos e facilitam a posterior análise dos resultados.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Então deixe um comentário aqui! E aproveite e baixe o ebook gratuito para educadores e conheça as 10 melhores dicas para seus alunos se prepararem para o ENEM e vestibulares!

APP028 - Ads_EbookDicas-04
 

Cometários

Comentários

[87763]
[87763]
[87763]
[87763]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d