A decisão na hora da matrícula escolar: Quais tecnologias mais influenciam e atraem os pais?
Luísa França nov 03, 2017

A decisão na hora da matrícula escolar: Quais tecnologias mais influenciam e atraem os pais?

Na era digital, o setor educacional pode se beneficiar da facilidade de acesso às informações e das formas instantâneas de se comunicar. Mas como transformar a informação em conhecimento e a comunicação em relacionamento de qualidade?

É aí que entra o uso estratégico que os gestores escolares podem fazer das tecnologias, não só para o dia a dia da escola, mas também para reter e captar alunos.

Neste artigo, vamos mostrar como as possibilidades de interação entre educadores, alunos, pais e tecnologia podem ser usadas na hora de influenciar a decisão da matrícula escolar. Confira!

O uso pedagógico de tecnologias nas escolas

É importante que os educadores saibam mostrar não somente quais são aplicações da tecnologia na sala de aula, mas também como elas são utilizadas e quais as vantagens para alunos, famílias e educadores.

Foi o que fez o Colégio Stella Matutina, de Juiz de Fora (MG). Parceira do AppProva, a instituição explora, em sua campanha para captação de alunos e rematrícula de veteranos, estratégias para incorporação da tecnologia.

A divulgação é realizada de forma contextualizada, associando as iniciativas ao planejamento pedagógico da rede de ensino. Um exemplo é a adoção do Ensino Híbrido, uma estratégia que combina a tecnologia com os métodos tradicionais.

O plano foi implantado por meio de parcerias (além do AppProva, com o Google for Education), além de investimento em infraestrutura e capacitação da equipe docente.

“Com a ampliação e a evolução do uso dessas metodologias, mostramos que estamos à altura das grandes tendências da Educação 3.0” – Maria Helena Galucci, Diretora Geral do Colégio Stella Matutina.

Explorar esse diferencial competitivo pode ser o valor que vai distinguir um colégio do outro diante dos olhos dos pais.

O uso das tecnologias pelas escolas na gestão estratégica

Para ser estratégica, a aplicação de novas ferramentas pela escola deve ser feita de forma personalizada. Esse cenário se traduz tanto nos métodos utilizados pelos professores como ferramenta de motivação em sala de aula e acompanhamento das habilidades dos alunos, quanto para a gestão da instituição.

Algumas vezes, o uso dessas ferramentas enfrenta resistência da equipe docente, mas a tecnologia pode e deve ser vista como um meio de preparar aulas, enriquecer as propostas e vencer desafios de aprendizagem, não como uma ameaça. A unidade Contagem do Colégio Santo Agostinho não deixou essa oportunidade passar.

Diante de um problema bem prático — a evasão de alunos no Ensino Médio — a escola contou com dados preciosos, fornecidos pela parceria com a AppProva. Desde 2016 os alunos da 3ª Série utilizam a plataforma. As informações sobre o desempenho e o desenvolvimento de habilidades dos estudantes alimentou um plano para identificar as lacunas e adotar medidas para superá-las.

Deu certo: as turmas concluintes em 2016 alcançaram o maior aproveitamento no ENEM dos últimos cinco anos. Em 2017, a utilização foi estendida para a 2ª Série e o plano para 2018 é incluir a 1ª Série.


Assista ao especial em vídeos: 1 Simulado Para 3 Séries

Para saber mais sobre os benefícios, desafios e resultados de se aplicar o mesmo simulado nas 3 séries do Ensino Médio


A tecnologia como um diferencial de mercado

O uso das análises feitas com o AppProva no Santo Agostinho Contagem foi além. O supervisor do Ensino Médio da unidade, Rodrigo Mourão, fez apresentações, com base nessa experiência, para pais do 7º ao 9º Ano do Ensino Fundamental.

O público mais afetado pela decisão de manter ou não o filho na escola pôde visualizar os resultados e enxergar o processo de aprendizado de forma ampla, desde o Ensino Fundamental.

“Por meio dos dados obtidos com o AppProva, conseguimos, ao mesmo tempo, reforçar os valores da instituição e atender às expectativas das famílias. Já estamos prevendo novas turmas para o Ensino Médio” – Rodrigo Mourão, Supervisor do Ensino Médio do Colégio Santo Agostinho Contagem.

Os índices preliminares obtidos nas matrículas escolares para 2018 mostram queda na taxa de evasão e melhora na captação de alunos.

A experiência do Colégio Santo Agostinho de Contagem mostra que ampliar o uso da tecnologia na escola é uma chance de diferenciar a instituição de ensino e, ao mesmo tempo, intensificar a relação entre pais e tecnologia no contexto da escola.

Quais fatores mais atraem os alunos

Os alunos de hoje são nativos digitais e veem a tecnologia como algo natural. Aplicá-la de forma bem-sucedida significa incentivar, sempre que possível, a autonomia, o pensamento crítico, a relação de troca com o professor e o vínculo com a vivência cotidiana.

O uso da internet, quando bem orientado, pode ser um aliado para apresentação de conceitos complexos de forma simples e criativa. Incentivar os alunos a produzirem vídeos e até mesmo os próprios aplicativos também são formas de destinar a tecnologia ao desenvolvimento de um pensamento lógico e empreendedor.

Outro fator de atração é o uso de dispositivos portáteis, como os tablets e os smartphones. Eles facilitam o acesso a informações sobre tarefas, simulados, tira-dúvidas e dicas que atendem ao desejo crescente de informações rápidas e práticas.

O uso contextualizado e positivo das ferramentas faz com que o aluno sinta-se inserido e conectado ao ambiente escolar, sendo um grande fator de influência para resolver o dilema que muitos pais ainda têm sobre o uso de tecnologias educacionais.

O que determina a decisão dos pais sobre a matrícula escolar

Já ficou claro que a tecnologia deve ser empregada de forma contextualizada e aliada aos princípios da escola, certo?

Na hora da escolha dos pais, o uso da tecnologia e a infraestrutura da instituição caminham lado a lado com critérios como:

» Média dos alunos no ENEM;
» Qualidade das atividades extracurriculares (esportes, programas de intercâmbio, aulas de línguas);
» A reputação e a imagem diante da comunidade;
» A identificação de valores comuns entre alunos, pais e escola.

Esses fatores vão impactar a decisão da matrícula de duas maneiras:

» como as opções tecnológicas adotadas na escola vão aparecer nas pesquisas que os potenciais pais novatos fazem sobre a instituição na internet;
» como o uso da tecnologia no cotidiano impacta alunos, pais e professores atuais e as opiniões que eles vão transmitir a outras pessoas.

É importante ter em mente ainda que os pais da geração atual são muito conectados. Uma pesquisa realizada pelo Facebook apontou que 31% deles consideram que os dispositivos móveis os ajudam a se tornarem pais mais produtivos.

Por isso, ao trabalhar sua campanha de matrículas, destaque o uso da tecnologia, mas sem se esquecer, é claro, de vinculá-lo à essência e à identidade da instituição.

Dentro da equação pais e tecnologia, mostrar que a escola entende essa necessidade e está preparada para esse cenário é mostrar também que a instituição acompanha a evolução da educação e investe em um modelo mais conectado, compartilhado e personalizado, sem perder a qualidade.

Vale ressaltar que essa estratégia influencia a decisão da matrícula escolar tanto daqueles pais que buscam atualização constante quanto daqueles que valorizam a tradição. No caso do Stella Matutina, por exemplo, a campanha de matrícula destaca que o colégio inova, sem perder sua essência e identidade.

Você também quer poder acompanhar o desempenho dos alunos, fornecer recursos que facilitam e qualificam o trabalho dos professores, engajar estudantes e encantar suas famílias com o uso da tecnologia?

Conheça os benefícios do AppProva e saiba como ele pode ajudar sua escola na campanha de matrículas!

Preencha o formulário abaixo e converse com um de nossos especialistas


Cometários

Comentários

[87763]
[87763]
[87763]
[87763]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d