7 critérios que os pais analisam para definir a matrícula escolar de seus filhos
Luísa França out 24, 2016

Matrícula Escolar: o que os pais procuram nas escolas

A matrícula escolar das crianças e adolescentes é uma questão de extrema importância para pais e filhos.

Afinal, independentemente de se tratar da primeira escola ou da permanência de um aluno mais velho (do Ensino Fundamental para o Ensino Médio por exemplo) por mais um ano letivo na mesma instituição, essa é uma escolha de grande impacto na vida de toda a família.

Isso porque além de ser responsável pela formação acadêmica do estudante, tendo assim uma influência enorme sobre seu futuro profissional — da nota no ENEM ao aprendizado de línguas estrangeiras, por exemplo —, a escola também é o lugar onde boa parte da formação humana do jovem acontecerá.

Como passa parte significativa de seu tempo na escola, em uma fase da vida em que seu caráter está em construção, é lá que a jovem vai adquirir valores, aprender a se relacionar com os outros, definir seus sonhos e desenvolver sua personalidade.

Sendo assim, para conquistar matrículas, é preciso que a instituição de ensino consiga mostrar aos pais como a escola contribuirá para a educação dos estudantes nesses dois sentidos, e não apenas no que diz respeito ao aprendizado estritamente acadêmico.

Pensando nisso, no texto de hoje, vamos ajudar você a conhecer as preocupações e anseios dos pais na hora de escolher a escola dos filhos para, a partir desse ponto de vista, trabalhar no intuito de atender a essas demandas e aumentar a captação de alunos.

Confira e descubra como aumentar suas matrículas e, de quebra, a satisfação de toda a comunidade com a escola!

O que os pais levam em conta para escolher uma escola para os filhos?

Bem antes de tomar a decisão final em relação à escola dos filhos, no momento de levantar as principais opções para, mais tarde, realizar uma triagem mais seletiva, os pais colocam na balança uma série de fatores mais ou menos gerais sobre cada instituição. Mas além de servirem para a família do estudante, esses critérios também são úteis, para a escola, na definição do perfil de estudante e de pais visado por ela.

A seguir, listamos o que é considerado pela família do estudante para que você possa entender como conquistar a atenção dos pais nessa primeira busca e, a partir daí, ir mostrando aos poucos como a sua instituição pode ser a escolha ideal. Veja:

Valores

Talvez este seja o primeiro — e, provavelmente, o mais importante — parâmetro usado pelos pais na busca de uma instituição de ensino para matricular os filhos, seja em seu primeiro ano escolar ou na hora de mudá-los de escola por motivos diversos.

Diante disso, é imprescindível que a escola tenha valores bem definidos e, ainda, saiba manter-se coerente com eles, aplicando-os em todos os níveis.

Tais valores dizem respeito a questões como religião, tolerância, inclusão e até mesmo aquilo que é priorizado no ensino e nas relações entre os pais e a instituição, os alunos e professores, bem como a escola e a comunidade.

Na hora de procurar saber sobre quais são os valores da escola, os pais podem fazer perguntas como:

» Como acontece o ensino de religião na escola? Há a celebração de datas religiosas? Qual é a política da instituição no que concerne a tolerância e aceitação de crenças diferentes da oficial, se houver uma?

» A escola obedece às leis de cotas e inclusão? Há bolsas de estudos para incluir alunos de diferentes contextos socioeconômicos? Há uma política de inclusão de alunos com deficiência?

» Como é a relação da escola com a comunidade e os pais? A instituição realiza eventos abertos a todos? Há políticas que beneficiam o entorno da escola (como horta comunitária ou preservação do espaço urbano)?

Além destas, perguntas quanto às regras e visão da escola sobre temas como prevenção do uso de drogas, estímulo à prática de esportes, aprendizado da sexualidade e práticas de prevenção e combate ao bullying também podem surgir e ajudam a clarificar os valores adotados pela escola.

Proposta de ensino

Alguns pais procuram na escola a garantia de que o filho conseguirá entrar em uma boa universidade e terá uma abundância de oportunidades profissionais no futuro. Outros estão mais preocupados com sua formação artística e desenvolvimento do senso crítico. Há ainda os que priorizam o ensino de disciplinas extracurriculares, como o empreendedorismo.

Em qualquer um desses casos, a forma segundo a qual os pais e a escola saberão que estão ambos trabalhando em prol dos mesmos objetivos é o projeto pedagógico da instituição. Por esse motivo, contar com uma proposta bem definida e embasá-la em teorias de educação consolidadas também é muito importante.

Além de ser um requisito do governo para o funcionamento da escola, o Projeto Político-pedagógico (PPP) deve ser um documento a ser consultado — e aprimorado — constantemente, a fim de que a instituição atinja seus objetivos e demonstre sua coerência para pais e alunos.

Para tal, é importante que o PPP contenha:

» a missão da escola, isto é, o tipo de aluno que deseja formar e, portanto, aquilo que norteia cada uma das ações da instituição;

» a caracterização da escola, que é o registro de sua história, qualidades buscadas nos estudantes e no corpo docente, valores, etc.;

» e seus planos de ação e projetos, em curto e longo prazo (por exemplo, instalação de laboratórios, mudanças na didática, formação continuada dos professores), para que a escola chegue aonde pretende, isto é, cumpra sua missão com cada vez mais eficácia.

Vale lembrar ainda que a proposta pedagógica da escola é importante não apenas para mostrar aos pais que estão todos no mesmo caminho, mas, ainda, para que se possa verificar sua compatibilidade com as características e interesses dos próprios alunos, cujo perfil evidentemente também deve ser considerado neste momento.

Mensalidade, localização e horário

Ao lado dos critérios que já mencionamos, não devemos nos esquecer de que os pais também precisam levar em conta questões um pouco mais práticas e objetivas quando o assunto é a escolha da escola dos filhos.

Por isso, o valor da mensalidade, a localização (e acessibilidade) da escola e seus horários de chegada e saída — incluindo possibilidade de se matricular a criança em período integral ou atividades de formação complementar fora do horário normal de aula — também devem ser adequados ao perfil de estudante e pai visado pela instituição.

Sobre esse critério, outra dica interessante para aumentar a captação de alunos é contar com opções flexíveis de horários (com respectivas alterações na mensalidade) e serviços de transporte escolar, assim como segurança reforçada nos arredores.

Apresentando a escola de maneira agradável e eficiente

Depois de conhecer e se interessar pela sua instituição de ensino em vista dos fatores de que falamos acima, o próximo passo a ser tomado pelos pais é visitar pessoalmente a escola. Aqui, algumas dicas que podem contribuir para que a experiência seja positiva para ambos os lados.

Confira:

Treine funcionários e professores para as visitas

A primeira providência para aumentar as chances de que o contato entre os pais e a escola seja um sucesso é preparar a instituição para recebê-los. Afinal, surpresas e falta de profissionalismo dos colaboradores e dos docentes durante uma visita não serão nem um pouco favoráveis para causar uma boa impressão, concorda?

O ideal é contar com um funcionário específico para realizar o tour, assim como protocolos e normas de conduta para todos durante a visita, a fim de não prejudicar o funcionamento normal da escola nem transmitir amadorismo aos visitantes.

Estabelecer um roteiro de fala e trajeto dentro da instituição é fundamental. Inclua nele sua história e missão, passando pelos valores pedagógicos, visita aos laboratórios e bibliotecas, e terminando com uma conversa com o coordenador pedagógico (caso não seja ele próprio quem dirigirá a visita). Assim, os pais e o estudante têm ainda um espaço para tirar suas principais dúvidas ao final.

Valorize a transparência e honestidade

Preparar a escola e os funcionários para receber pais e possíveis futuros alunos não significa, é claro, “maquiar” o dia a dia da instituição durante as visitas, nem enganar os visitantes de nenhuma forma.

Pelo contrário, é interessante já demonstrar, desde o primeiro contato, o máximo de transparência possível. Tenha à disposição, para consulta, números como aprovações nas últimas edições do ENEM, inscrições por ano, investimentos em infraestrutura, entre outros, e não hesite em responder com honestidade às perguntas dos pais.

Da mesma forma, caso apareça algum aspecto negativo da escola durante a visita, o PPP poderá contribuir com a exposição dos planos de melhorias e projetos de solução para aquele problema.

Mostre coerência entre o PPP e a realidade

Por falar nele, o projeto político-pedagógico da escola deve ser apresentado — ainda que adaptado para a compreensão dos pais — durante a visita. Ele pode, inclusive, ficar disponível no site da escola e/ou em brochuras para serem levadas e consultadas posteriormente.

Outro ponto importante é demonstrar, na prática, como a escola procura cumprir sua missão, expondo seus diferenciais em relação a outras instituições, bem como as ações que caracterizam sua proposta pedagógica específica.

Vídeos, panfletos e outras mídias com números, depoimentos de pais, alunos e ex-alunos, assim como outras informações sintetizadas podem contribuir para que os pais entendam o funcionamento da escola e verifiquem, dessa forma, se ela tem o que eles buscam.

Não negligencie o perfil do estudante

Por fim, é importante que a escola demonstre que não está interessada apenas na matrícula do aluno em si, mas também em sua adaptação ao projeto da instituição e, portanto, na compatibilidade entre os interesses dos pais, da escola e do estudante. Para isso, vale fazer o seguinte:

» proponha, sempre que possível, uma entrevista do coordenador pedagógico com os pais e o estudante, separadamente, a fim de descobrir se há afinidade entre seus objetivos;

» ofereça ao aluno a possibilidade de passar um ou mais dias na escola, acompanhando uma turma, a fim de observar como ele se adapta;

» conte com um programa de apoio pedagógico aos novatos até sua adaptação completa, principalmente para os alunos mais velhos que estão trocando de escola no ensino fundamental ou médio.

7 fatores mais comuns que os pais consideram

Agora você já sabe o que é colocado na balança pelos pais nas primeiras considerações sobre a escola do rebento e também como causar uma boa primeira impressão no momento da visita à escola.

Mas na hora da decisão final, que fatores vão fazer a diferença e pesar a seu favor na comparação com outras instituições?

É o que mostraremos a seguir. Confira os 7 elementos mais valorizados pelos pais na matrícula escolar dos filhos:

1. Média dos alunos no ENEM

Ainda que a missão da escola não se concentre exclusivamente em garantir aos alunos notas excepcionais no ENEM e nos vestibulares, vale ressaltar que este não deixa de ser um critério importante para os pais.

Trata-se de um sinal da seriedade da escola e de sua capacidade de conciliar seu projeto pedagógico — por mais diferente que ele seja — com a realidade do mercado, por isso, esse é um dado muito procurado, principalmente para comparar prós e contras.

Além da média dos estudantes da escola no exame, que é divulgada anualmente pelo MEC, outro número relevante é a porcentagem de alunos do terceiro ano do ensino médio que se inscreveram e compareceram no dia da prova: indicativo da evasão escolar da instituição.

2. Atividades extracurriculares

Há muito tempo, o papel da escola deixou de ser o de simplesmente ensinar as disciplinas tradicionais, fornecendo aos estudantes uma base sólida para a entrada no ensino superior. Hoje, a demanda pelo ensino de habilidades fora do currículo comum aumentou muito, e as instituições que visam uma formação mais completa de seus alunos são bastante valorizadas.

Cada vez mais pais investem no ensino em período integral e na escola bilíngue, assim como nas escolas que oferecem atividades extraclasse de esportes, idiomas, artes e música ou mesmo finanças, saúde e história da arte para complementar a formação de crianças e adolescentes.

Além disso, contar com parcerias com programas de intercâmbio, promover viagens socioculturais e outros tipos de eventos que possam ampliar o horizonte dos alunos e enriquecer sua educação também dá pontos à sua escola no momento da matrícula.

3. Infraestrutura

A infraestrutura da escola envolve seu espaço físico — salas de aula confortáveis e equipadas, bibliotecas, laboratórios, quadras, etc. —, mas, também, todo um espaço virtual de comunicação: contar com uma plataforma de comunicação on-line entre pais, alunos e professores é uma ótima estratégia.

Ainda com relação à estrutura física da escola, cabe lembrar que tudo o que vai além do considerado “básico” também representa pontos positivos na hora da decisão dos pais.

Estamos falando de:

» ambientes de estudo com monitores e docentes para ajudar na lição de casa;

» jardins e playgrounds para a convivência;

» hortas comunitárias mantidas por professores e alunos;

» salas de relaxamento e leitura;

» e espaço multimídia amplo e moderno.

4. Uso da tecnologia

Outro detalhe que vem sendo cada vez mais valorizado por pais e estudantes na hora de decidir em que escola fazer a matrícula é o uso da tecnologia em sala de aula.

Além de demonstrar o compromisso da escola com as últimas tendências em educação, a tecnologia contribui para:

» engajar e motivar os alunos;

» diagnosticar e solucionar as dificuldades dos estudantes;

» gerenciar o tempo do professor dentro e fora da sala de aula;

» e melhorar o desempenho dos estudantes, beneficiando a média da escola no ENEM e nos vestibulares.

De simulados on-line ao uso de games como Pokémon Go! na educação, o emprego da tecnologia pode (e deve!) acontecer de várias maneiras na escola, assim como já ocorre no dia a dia, fora de seus muros.

5. Qualificação dos professores

Embora seja um pouco mais subjetivo, não é difícil entender por que esse dado também é muito relevante para os pais na escolha da escola dos filhos, certo?

Alguns sinais importantes de que a escola se preocupa com a competência e qualificação de seus docentes são:

» contrato de dedicação exclusiva;

» salários condizentes com a qualificação esperada e a mensalidade da escola (aqui, transparência em relação a esse assunto com os pais é essencial);

» emprego de recursos tecnológicos (como diagnóstico por dados) que permitam aos professores aprimorar seu trabalho;

» e incentivo à formação continuada.

Veja também o ebook gratuito: Formação continuada de professores

Matrícula escolar: ebook Formação Continuada de Professores

6. Reputação da escola

Como é a imagem da sua instituição de ensino do lado de fora?

Cuidar desse aspecto também é crucial para que os pais tenham informações externas que confirmem sua opinião positiva em relação à escola, e não apenas quanto ao desempenho dos alunos.

Apostar nas atividades socioambientais que envolvem e beneficiam toda a comunidade é uma maneira de demonstrar os valores da escola e, ainda, chamar a atenção de forma favorável. Além disso, investir no marketing, cuidar da presença na mídia (on e offline) e conquistar os pais dos alunos já matriculados para estimular o boca a boca também são boas estratégias.

Veja também nosso ebook gratuito: Como tornar a escola mais atrativa para a sociedade?

Matrícula escolar: como tornar sua escola mais atrativa para a sociedade?

7. Opinião do estudante

Por último, não devemos nos esquecer — concentrados que estamos em causar uma boa impressão nos pais — de que a opinião dos futuros alunos também é de suma importância na escolha da instituição de ensino, não importa que idade tenham.

Nesse caso, focar parte das estratégias de captação nos próprios estudantes — mostrando-lhes quais são os atrativos da escola especificamente para eles e promovendo sua integração e adaptação após a matrícula — é outra atitude que pode fazer a diferença na decisão tanto dos pais quanto das crianças e adolescentes.

Como atender às demandas solicitadas pelos pais?

Finalmente, depois de conduzir os pais de seus futuros alunos da primeira busca à seleção final de escola em que vão matricular o filho, vejamos como atender às suas demandas para deixá-los tranquilos, cientes de que a educação dos jovens está em boas mãos:

Saiba ouvir o que pais e alunos querem

Evidentemente, não tem jeito de lidar com aquilo que os pais desejam sem conhecer de perto suas demandas. Pois por essa razão, contar com um canal de comunicação e captação de dados é fundamental.

Na própria matrícula, já é possível fazer algumas perguntas que podem ajudar a definir o perfil de pai e aluno da escola, assim como coletar informações sobre eles. Isso, contudo, não basta:

é preciso ainda abrir-se e, inclusive, estimular todas as partes envolvidas a darem sua opinião para que se construa uma escola cada vez mais unida pela mesma missão.

Fique de olho nas tendências

Depois de pesquisar sobre as demandas dos estudantes e suas famílias, a escola deve analisá-las sob a ótica das mais novas tendências na área da educação.

Dessa forma, é possível estudar a melhor maneira de atender a essas questões sem perder de vista o conhecimento disponível, e sempre considerando a viabilidade real dessas ideias. Afinal, os pais — ainda que desejem o melhor para os seus filhos — geralmente são leigos quando o assunto é didática e aplicação de teorias no ensino.

Mantenha os pais informados a respeito das decisões e novidades da escola

Por fim, conciliando a abertura para ouvir o que os pais querem e a pesquisa sobre as tendências na educação, é necessário comunicar a família dos estudantes a respeito das decisões da escola, compartilhando o conhecimento e a experiência que só os professores e gestores da instituição têm sobre o ensino.

Isso implica promover reuniões, comunicações e fóruns para:

» divulgar os dados e informações captados pela escola;

» compartilhar, de maneira sintetizada, as descobertas feitas pela equipe pedagógica sobre as tendências que serão adotadas na instituição;

» justificar as decisões tomadas sem consulta direta à opinião dos pais, explicando os motivos por trás da adoção de um e não de outro método, assim como o não atendimento a alguma demanda específica;

» e compartilhar os resultados obtidos até então, bem como os planos e projetos para o futuro, destacando o que ainda será melhorado.

Como vimos, conhecer os critérios considerados pelos pais ao definir a matrícula escolar de seus filhos é interessante não apenas para aumentar a captação de alunos pela instituição de ensino como, ainda, para ficar por dentro das principais demandas e tendências dentro e fora da comunidade escolar.

Como consequência desse cuidado, é possível que todos sigam caminhando sempre em direção a um ensino de mais qualidade, voltado para o sucesso dos estudantes, seja lá que rota eles escolherem traçar!

Aproveite o espaço reservado aos comentários, abaixo, para compartilhar a sua opinião sobre este artigo e contar quais critérios são mais relevantes para os pais na sua escola e o que vocês fazem para atingi-los!

CTA Blog

Cometários

Comentários

[87763]
[87763]
[87763]
[87763]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d