Como incentivar os alunos a lerem mais

Rodrigo Castro maio 07, 2015

Como incentivar os alunos a lerem mais

Os alunos da geração Z, também chamados de nativos digitais, parecem estar se distanciando cada vez mais do hábito da leitura. Diante do dinamismo e modernidade trazidos pelas novas tecnologias, eles têm buscado informações mais rápidas e acessíveis, o que pode levar muitos deles a pensar que ler é perda de tempo.

O educador, diante disso, deve sim continuar agindo no intuito de provar o contrário, afinal, a leitura nunca ficará ultrapassada e continua sendo uma importante ferramenta na educação de crianças, jovens e adultos.

Para ajudá-lo, listamos hoje algumas estratégias pedagógicas para incentivar seus alunos a ler mais. Acompanhe-nos e muna-se de estratégias para a batalha em defesa dos livros, tanto digitais quanto físicos:

Estimule a leitura por prazer

Ler não deve ser um ato impositivo, portanto, deixe de lado a arbitrariedade e estimule a leitura por prazer. O professor deve incentivar os alunos a descobrir os estilos literários de que mais gostam, permitindo que eles escolham livros para levar para casa e, quando houver alguma leitura obrigatória na ementa, abordá-la como atividade atrativa, lúdica e divertida para o aluno.

Para tal, pode-se apresentar a obra de uma forma diferente, conversar sobre o autor, propor a teatralização dos textos, fazer debates, enfim, adotar atitudes que visem tornar o processo mais prazeroso.

Promova visitas a bibliotecas

Se espera que o aluno desenvolva o hábito de ler cada vez mais frequente e com mais qualidade, o professor precisa, imprescindivelmente, promover seu contato com os livros.

Leve a turma para a biblioteca da escola, deixe que eles explorem os livros, folheiem as revistas e escolham de maneira autônoma o que desejam ler. Além disso, lembre-os de que a leitura não precisa se restringir aos muros do colégio. Organizar uma visita para registrar os estudantes nas grandes bibliotecas municipais pode trazer resultados surpreendentes!

Baixe aqui nosso guia gratuito para educadores e saiba como utilizar o AppProva para identificar as dificuldades dos alunos!

Invista em projetos de leitura

Outra boa maneira de incentivar os alunos a ler mais é investir em projetos de leitura. Nesse sentido, a escola pode promover a arrecadação de livros em gincanas, fazer olimpíadas de leitura com premiações para os melhores desempenhos, organizar semanas especiais dedicadas à contação de estórias e ao ato de ler, além de propor que os estudantes escrevam suas próprias narrativas e poesias — a produção textual também é uma excelente estratégia para incentivar o gosto pela leitura.

Busque a variação

Quando a intenção é fazer os estudantes gostarem de ler, a variação nos gêneros e tipos literários é essencial. Os alunos devem experimentar a leitura por meio de diferentes materiais, que vão muito além dos formatos mais tradicionais.

A escola pode e deve permitir que leiam quadrinhos, revistas, jornais, charges, poesias, acrósticos, crônicas, contos, etc. Isso vai livrá-los de preconceitos literários e prepará-los para ler de tudo e se sair bem, inclusive, no momento de ler de maneira crítica os enunciados das provas, os outdoors nas ruas, entre outros.

Evidentemente, a idade dos alunos deve ser sempre considerada na escolha das obras mais adequadas para eles.

Amplie o poder de interpretação dos estudantes

No momento do debate sobre o que foi lido, é interessante, antes da exposição por parte do educador, deixar os alunos falarem sobre o que entenderam e como interpretaram a obra. Não interromper o fluxo de ideias e evitar julgar determinadas interpretações como equivocadas são atitudes fundamentais nesse contexto — é importante esclarecer que diferentes visões são sim válidas e, inclusive, enriquecedoras.

Cabe ainda ressaltar que, para ampliar o poder interpretativo dos alunos, o professor pode propor releituras, produções textuais e até a musicalização do texto, por exemplo.

Não condene a tecnologia — pelo contrário

O medo de que aparelhos como e-readers e tablets possam significar “o fim dos livros” não é incomum, no entanto, o educador não deve sob hipótese alguma atribuir esse papel à tecnologia. É preciso enxergar — e, em seguida, mostrar aos alunos — que, longe de levar à morte dos livros, a tecnologia traz novas formas de explorá-los e, principalmente, a possibilidade de conhecer obras antes inacessíveis. Para ilustrar, mostre projetos como:

  • O Domínio Público, que dá acesso a diversos títulos livres de direitos autorais em português;
  • o Project Gutemberg, que fornece e-books gratuitos em diversas línguas;
  • e o Gallica, portal da Biblioteca Nacional da França, que conta com livros, manuscritos, imagens e documentos históricos de livre acesso.

Além disso, recorrer a aplicativos móveis, grupos de leitura no Facebook, postagens interessantes nas mídias sociais, projetos de blogs, jogos educativos e vídeos que tratam de alguma obra literária são excelentes maneiras de envolver os alunos na leitura, afinal, estamos falando aqui da geração Z.

Quer melhorar o desempenho dos seus alunos no ENEM? Agende uma conversa gratuita com um de nossos especialistas e saiba como! Achou o tema do post interessante?  Dê uma olhada em nossos materiais sobre o uso da tecnologia na escola e descubra como essa e outras tarefas podem se tornar muito mais simples do que você imaginava!

Cometários

Comentários

[87763]
[87763]
[87763]
[87763]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d